Atendimento ao Cliente: (21) 2672-7070
Clique abaixo se você for:

Médico Paciente
Empresas e Laboratórios conveniados:
0800 888 7030 Área restrita do laboratório 

Exames

Menu de Exames

O Laboratório Sérgio Franco oferece mais de 3 mil tipos de exames. Consulte abaixo a relação de todos eles:

CODIGO: RPCASA

 
NOME: RESISTENCIA A PROTEINA C ATIVADA

 
MATERIAL: Sangue

 
RECIPIENTE: CITRATO CIC

 
PRAZO: 17 dia(s)

 
COMENTARIO: LABORATORIO CIC - 3084

- Colher tubo de citrato totalmente preenchido, tanto para adultos como criancas, sem garrotear ou com garroteamento minimo.
- O tubo de citrato devera ser o segundo na ordem da coleta. Se nao houver solicitacao de outro exame, colher um tubo sem anticoagulante, desprezar e depoiscolher o tubo com citrato.
- Centrifugar imediatamente apos a coleta (3000 rpm por 15 minutos).
- Separar o plasma cuidadosamente, transferindo-o para um tubo plastico. Cuidado para nao tocar a ponteira na camada de celulas, pois isto pode contaminar oplasma com plaquetas.
- Congelar imediatamente.
- Enviar o material congelado em gelo seco, com volume minimo de 2 mL de plasma pobre em plaquetas.

 
SINONIMO: Resistencia A Proteina C Ativada, Rpca, Resistencia A Proteina C, Indice Resistencia A Proteina C Ativada, Indice de Resistencia A Proteina C Ativada, Metodo: Deteccao de Coagulo = Teste Coagulometrico

 
Metodo: Deteccao de Coagulo.

Valor de Referencia: Superior a 1,5

NOTA:

- Resultado obtido inferior ou igual a 1.5 pode ser indicativo da presenca de

mutacao do fator V de Leiden. O resultado nao deve ser interpretado isolada

mente, sendo necessaria a confirmacao com uso de tecnicas de biologia mole

cular.

- A resistencia a proteina C ativada esta associada a uma mutacao de ponto no

gene do favor V (ex: Fator V de Leiden). A mutacao provoca uma substituicao

do aminoacido arginina 506 (R) pela glutamina (Q) na proteina do fator V.

Esta mutacao retarda a inativacao do fator V pela resistencia a proteina C

ativada, provocando, assim, um aumento do tempo da coagulacao.

- A existencia da mutacao no fator V de Leiden e uma das causas mais comuns

de trombofilia hereditaria. Porem, em alguns casos, tambem pode ser ocasio

nada por outras mutacoes no gene do fator V, como o FV de Cambridge e o FV

de Hong Kong.

* Fonte: Bula do fabricante

Exame realizado em parceria com o Laboratorio Labco Nous.

CBHPM: 40321533